Condomínios de São Paulo investem em segurança

Condomínios de São Paulo investem em segurança

Para os especialistas da Gocil, muitas vezes, a ação de criminosos é facilitada, principalmente, pela postura inadequada de porteiros, zeladores e até condôminos. Saiba como evitar

PR Newswire

SÃO PAULO, 26 de abril de 2018

SÃO PAULO, 26 de abril de 2018 /PRNewswire/ -- A sensação de maior segurança é o que motiva boa parte da população a morar em condomínios. Uma pesquisa recente do Ibope mostra que a preocupação das pessoas com a violência e a falta de segurança no Brasil dobrou no último ano.

No fim de 2016, 19% dos brasileiros mencionaram esse tema entre os mais relevantes. O item foi o quarto entre os temas que mais preocupam a população depois do desemprego, da corrupção e saúde. Já no fim de 2017, a insegurança continuou em quarto lugar, mas as citações saltaram para 38%.

Sérgio Ehrlich, diretor de operações da Gocil Segurança e Serviços, explica que para garantir um condomínio seguro é preciso montar um protocolo de segurança com as normas que devem ser seguidas por porteiros e moradores, de acordo com a estrutura de cada prédio.

"Da mesma forma que a tecnologia avançou para garantir mais segurança aos moradores, grupos mal-intencionados também se especializaram em burlar esses sistemas. Por isso, é preciso investir na elaboração de um projeto de segurança específico para a realidade de cada condomínio".

O treinamento das equipes e monitoramento dos serviços, com supervisão 24 horas por dia, também estão entre as atividades essenciais. "O treinamento é importante para instruir cada funcionário sobre os procedimentos de segurança do condomínio, como o controle total de acesso: ninguém entra sem a devida autorização, não é permitido dar informações de qualquer natureza sobre assuntos do condomínio ou de proprietários a terceiros, entre outros", ressalta.

O especialista alerta que a orientação aos condôminos é tão fundamental quanto o treinamento da equipe de segurança, portaria e limpeza, uma vez que o desrespeito às regras pode pôr em xeque todo um sistema preventivo.  

"Um exemplo clássico disso é quando o funcionário vai colocar o lixo na rua e, por descuido, acaba deixando o portão aberto ou mesmo a falta de comunicação dos moradores à portaria quando há a contratação ou demissão de funcionários", exemplifica.

Diante disso, estabelecer regras de segurança e comunicar a todos sobre a importância de segui-las ajuda a evitar problemas futuros. "Se os moradores respeitarem as normas, ficará mais fácil contribuir para a proteção do prédio. Para fixar essas regras, recomendamos enviar por e-mail ou imprimir e colocar em diversos locais, por exemplo, no elevador, onde todos têm acesso", conclui Ehrlich.

Marina Batista
marina.batista@trixe.com.br
11 5052- 4072

FONTE Gocil Segurança e Serviços

Voltar noticias em Português no Mundo